quarta-feira, 29 de junho de 2011

2

Lauren Kate no Brasil: Datas Reveladas

2 comentários

Olá Galera!

Como todos vocês já sabem. A Bienal do Livro do Rio de Janeiro, está bombando, e tem um monte de autores maravilhosos que vem por aí.

Um deles, é a Lauren Kate, autora da Série Fallen.

5791257719_af51f31b86

Lauren colocou em seu site, todas as datas de sua tour, isso incluiu, o período que ela estará em terras brasileiras.

“September 8-15th: Brazil

Rio de Janeiro Book Festival and Brazil tour

*The festival is September 1-11th; I’ll be there for the second half and will make some stops around Brazil afterward.”

Traduzindo

“Setembro 8-15th: Brasil

Bienal do livro do Rio de Janeiro e tour pelo Brasil

*A Bienal acontece entre os dias 1 e 11 de setembro; Eu estarei lá para a segunda parte e irei fazer algumas paradas pelo Brasil depois disso.”

A editora que vai trazer a autora é a Galera Record, e embora ainda não temos muita idéia de como será essa visita, e informações de datas e horários, pelo menos, já dá para ir se programando.

Essa data da visita pode sofrer alterações, e qualquer mudança nós informamos aqui.

Como já disse, pretendo ver a Lauren ou na Bienal, ou em SP. Ou em qualquer lugar que ela esteja durante o final de semana.

Beijos!

Fanny Ladeira

* Fonte: http://laurenkatebooks.net/book-signing-today

3

Resenha: O Iluminado

3 comentários

O IluminadoLivro: O Iluminado

Autor: Stephen King

Editora: Objetiva

Nota: 5 estrelas

O Iluminado, livro lançado em 1977, escrito por um dos maiores escritores contemporâneos, Stephen King, conta a história de Danny Torrance, um menino em tudo extraordinário, capaz de ouvir pensamentos, transportar-se no tempo e olhar o passado e o futuro. Danny - para o bem ou para o mal? - é um iluminado.

Danny não é um garoto comum. Maldição ou bênção? A resposta pode estar guardada na imponência assustadora do hotel Overlook, que já foi palco de festas sofisticadas, noitadas de sexo e bebida, grandes negócios e paixões avassaladoras. O tempo passou arrastando consigo as glórias do passado. Mas algo resiste nos longos corredores sombrios do hotel. Algo terrivelmente poderoso e assustadoramente mau.

Quando Jack Torrance consegue o emprego de zelador no velho hotel, todos os problemas da família parecem estar solucionados. Não mais o desemprego e as noites de bebedeiras. Não mais o sofrimento da esposa, Wendy. Tranqüilidade e ar puro para o pequeno Danny livrar-se de vez das convulsões que assustam a família. Só que o Overlook é uma chaga aberta de ressentimento e desejo de vingança. O hotel é uma sentença de morte e quer Danny, pois precisa dos seus poderes para chegar ao fim.

A luta assustadora entre dois mundos. Um menino e a ânsia assassina de poderosas forças malignas. Uma família refém do mal. Tudo isso está presente em O Iluminado em uma guerra sem testemunhas onde só vencerá o mais forte.

Eu passei 22 anos da minha vida, sem ler nada de Stephen King, e esse ano, estava disposta a mudar esse paradigma. Talvez o que me afastou dos livros de King, durante todos esse tempo, foi saber do tom de horror que os seus livros possuí.

Resolvi começar por O Iluminado, por ter assistido o filme (de 1980, protagonizado por Jack Nicholson), e ter ficado com algumas perguntas em aberto.

O livro, como de praxe, é um pouco diferente, e muito superior ao filme. Com detalhes, e passagens (super) importantes para entendermos, melhor a estória.

Esperava, por King ser um escritor renomado, um livro de qualidade, e não me decepcionei. E também, não esperava que ele tivesse tanto talento para escrever cenas apavorantes,com muita tensão e um pouco de terror.

Sem dúvida, esse foi o livro mais aterrorizante que li, e se era fácil me livrar das partes de terror ( era só eu fechar o livro, certo?) o difícil, era me afastar da estória, e ir fazer outras coisas.

Mas o livro é tão bem escrito, que até nessa parte ele tira vantagem de você. A cena te faz morrer de medo ( e morder a mão, já que roer a unha não é o suficiente), mas mesmo assim, você não consegue fechar o livro. Você tem que continuar a lê-lo.

Danny é um menino comum, que possui um dom incomum e pais escolhidos a dedo. O carinho que a sua mãe lhe passa, é inversamente proporcional a atenção que o pai lhe dá, mas mesmo assim, o menino parece gostar mais do pai do que da mãe, o que leva a um clímax no final.

O Hotel Overlook, é antigo, grande e faz voltar a vida todo tipo de coisa apavorante. Como vários personagens falam, é um hotel velho que tem uma história, e essa história não é nada agradável. O fato do hotel se encontrar isolado, no alto de um montanha, não ajuda melhorar o ambiente.

Embora, não tenha matado a minha curiosidade a respeito do final do filme, e uma foto um pouco suspeita ( quem já viu, sabe do que estou falando), o livro fez um bom trabalho em responder várias outras questões que tinha dúvida, e mostrar mais um vez, porque o livro é sempre melhor que o filme.

Super recomendo!

Fanny Ladeira

stephen-kingStephen Edwin King nasceu na cidade de Portland, no Maine, no dia 21 de setembro de 1947. Considerado um dos mais notórios escritores de contos de horror e ficção de sua geração, é um dos autores de maior sucesso em todo o mundo, com livros publicados e admirados em mais de 40 países. Inúmeras de suas obras receberam adaptação para o cinema, tais como Conta Comigo, À Espera de Um Milagre e Um Sonho de Liberdade, entre outras. O autor vive em Bangor, no Maine, com sua esposa, a romancista Tabitha King.

segunda-feira, 27 de junho de 2011

5

{Book Tour} Resenha: Estrela Píer

5 comentários

estrela_pierLivro: Estrela Píer

Autora:Kamila Denlescki

Editora: Novo Século

Nota: 2,5 estrelas 

Lucia tem uma vida monótona e previsível até vencer o concurso mais cobiçado do momento.

Não apenas ganha uma viagem para Londres, como também um jantar com o ator inglês Richard Clevehouse.

O que era sorte, entretanto, munda de cor. Richard, o belo ator de olhar sombrio, guarda um segredo: a vida de Lucia corre perigo. E ele fará de tudo para protege-lá, mesmo que em troca, tenha de sofrer muito mais do que espera.

Das certezas, apenas uma: Não há para onde fugir!

Á primeira vez que ouvi falar de Estrela Píer, foi durante a Bienal. Lembro de estar passando pelo estande da Novo Século, e da Kamila estar autografando um exemplar para algum leitor.

Desde então, o livro apareceu na minha lista de “Livros para serem lidos”, mas quando a Luana, do Partes de um Diário, colocou gentilmente o seu exemplar para a Book Tour, soube que aí estava uma ótima oportunidade.

O livro começa um pouco parado, e só fui me envolver com a estória quando Lucia vai pra Londres se encontrar com Richard Clevehouse, mas nesse momento já estava totalmente envolvida com a estória.

 

“Eu acredito que a melhor combinação que existem são ingleses e brasileiras. Eles são compenetrados, sérios, verdadeiros, lordes e, na intimidade da relação, engraçados; nós somos divertidas, misteriosas, persistentes e …corajosas.” (Cadê o e-mail do Ben Barnes para eu mandar isso para ele?!? hehe)

Lucia, é uma personagem bem comum, e talvez seja por isso que demorei para conseguir me conectar com ela. Mas foi ela que me proporcionou as maiores risadas. E só tenho uma dica para as meninas: Nunca falem que querem ir fazer xixi, na frente de um cara. Ele não precisa saber! hehehehe

A personagem principal, se pega em meio a uma trama de conspiração e pesquisas genéticas, e para não estragar a supressa de ninguém vou parar por aqui. Mas tenho que avisar, para não esperarem a resposta para todas as suas respostas.

Toda a trama mais futurista, que nós é apresentada na metade do livro, ficou sem uma boa explicação, e te deixa mais confusa do que realmente envolvida.

O livro termina num momento totalmente (uepa!), e espero que tenha uma continuação. ( quer dizer, TEM que ter!!)

Denlescki, é um jovem escritora, e esse é o seu primeiro livro, portanto todos os pontos negativos que eu senti em relação a estória, é fácil entender e superar, por esse ser o seu primeiro livro. Mas ela tem talento, e consegui sentir até uma pontinha de Marian Keys no seu texto, principalmente nas partes mais engraçadas.

Ela, com certeza, tem ainda muito para mostrar para o seu público e estarei esperando pelos seus próximos livros, mas com Estrela Píer, ela faz uma boa estréia.

Book Tour Estrela Píer

Como disse, a book tour desse livro, foi promovida pela Luana, do Partes de um Diário, e mais uma vez agradeço, por ela ter cedido o seu exemplar. – Valeu Luana

Para divulgar ainda mais a Book Tour e o trabalho da Kamila, segue abaixo, todos os blogs e resenhas do livro, vale a pena conferir todas!

Juliana Dias  - Dica de amigas (resenha aqui)
Clarisse Cunha - Livro... Filme... Música (resenha aqui)
Thais da Mata - Divagando sobre a realidade (resenha aqui)
Kellen Baesso de Sousa - Tudo o que interessa (resenha aqui)
Andressa Lapaz - My Diary fofinho
Stefania Ladeira - O Restaurante do fim do Universo – Essa Resenha!

 

Fanny Ladeira.

kamila-autoraKamila Denlescki, é brasileira, começou a escrever aos 12 anos e não parou mais. Cresceu em Santo André, estuda na Escola de Comunicações e Artes. Para conhecer mais sobre a autora acesse http://estrelapier.blogspot.com/

quinta-feira, 23 de junho de 2011

0

Cinema no Restaurante: Um tiro no Escuro

0 comentários

shot

Quando vamos ao cinema assistir uma boa comédia, sempre encontramos as mesmas caras. Jim Carrey, Adam Sandler, Ben Stiler, são figuras fáceis em filmes que vão nos fazer chorar….de rir.

E todos eles, tem alguém para se inspirarem, e um dos maiores comediantes de todos os tempos não deve ficar de fora, Peter Sellers. Celebre comediante da Época de Ouro de Hollywood, ele fez diversos filmes de sucesso, como Um convidado trapalhão, mas sempre ficará na memória como o atrapalhado inspetor Jacques Clouseau, dos filmes da série A Pantera Cor de Rosa.

peter-sellers-postersEsqueça, as tentativas frustradas de Stevie Martin, em tentar criar um filme digno para a franquia, porque os bons filmes da Pantera Cor de Rosa, são estrelados por Peter Sellers e dirigido por Blake Edwards.

E como infelizmente, os dois já faleceram, só nos resta o que ficou.

Talvez o melhor de toda a série seja o que separei para falar hoje, Um tiro no escuro, A Shot in the Dark no original que foi lançado em 1964.

Ele foi o primeiro a ser lançado da série “Pantera” mas foi o segundo a ser filmado (coisas de Hollywood), nele o Inspetor Jacques Clouseau, vai atender um caso de assassinato na mansão de um importante magnata. O Comissário, depois de tira-lo do caso, e coagido a coloca-lo de volta no caso, porque “pessoas influentes exigiram”. Clouseau, então tem que analisar todos os fatos, começando pelo fato de Maria Gambrelli (Elke Sommer) , a criada, ter sido encontrada com a porta fechada segurando a arma do crime.

Mas Clouseau, considera ela inocente, vai até o fundo para descobrir quem é o real assassino. É claro, que nesse meio tempo ele vai entrar em várias enrascada, problemas, e situações embaraçosas.

E claro, te matar de rir.

shotdark

São tantas, tantas cenas de comédias pastelão (De qualidade) que fica difícil encontrar a mais engraçada entre elas, mas fico com as constantes prisões que Clouseau sofre, ao tentar se camuflar, e a todas as cenas do clube de Nudismo.

clouseauSellers, tinha um jeito muito peculiar de montar os seus personagens, por exemplo, ele sumiu durante três dias de filmagens, e quando voltou o diretor estava pronto para “mata-ló”, até ele explicar que ficou seguindo um gerente de hotel, que tinha um sotaque peculiar. Foi quando surgiu o sotaque forte e diferente de Clouseau, e que novamente Steve Martin tentou imita-lo, sem sucesso.

Gosto como há muitas cenas de comédias, corporais, causados por expressões ou um maneira diferente de cair ou correr. Esse tipo de comédia exige mais do ator, e podemos ter uma percepção da qualidade dos atores.

A direção ficou a cargo do incrível Blake Edwards, e esse é o segundo filme dele que comento aqui, o primeiro foi, Bonequinha de Luxo.

É uma ótima comédia, e dá até mesmo para assistir com a família, só evite fazer sessão família se tiver algum irmão pequeno, porque pode ser complicado explicar algumas cenas sugestivas, mas é um bom filme, e todos merecem ver.

O cinema é para fazer pensar, mas também para entreter, e temos vidas tão corridas e complicadas, que ás vezes só precisamos de um filme que nos faça rir.

Uma Ótima Sessão!

Fanny Ladeira

Próxima Sessão: A Noviça Rebelde

2

Pottermore: A revelação do Segredo

2 comentários

Olá Galera!

Quem acompanha o blog, ou quem é ligado em tudo que diz respeito a Harry Potter, ficou sabendo que J.K. Rowling, iria fazer um anúncio essa semana.

Só sabíamos, que o nome do novo projeto dela seria Pottermore, e que tudo seria revelado hoje no site. Fizemos várias apostas do que seria essa novidade, mas o que foi revelado, não chegou muito perto do que pensávamos.

E Rowling, tratou de explicar o projeto pessoalmente:

Basicamente, Pottermore, será um arco entre ela e os leitores, onde encontraremos as estórias de Harry Potter, mas compartilhadas de forma diferente e mais dinâmicas.

jk rowlingRowling (absulamente linda!!!), explica que a a experiência das leituras, é uma criação entre o autor e o leitor, e é assim que o Pottermore funcionará, unindo o mundo que ela criou junto com a Série Harry Potter, e ampliando para que os leitores possam introduzir a sua imaginação, e como eles enxergam a estória.

Não foi revelado muitos detalhes de como isso funcionará, mas acredito, que será um espaço que os fãs poderão dividir as dúvidas e conseguir descobrir as ramificações de vários pontos e elementos da estória.

Acho que seria simplesmente magnífico, estarmos lendo, por exemplo a cena em que Harry, está sendo enviado para Grifinória pelo Chapéu Seletor, e podermos ter acesso a detalhes sobre o próprio Chapéu e sobre as Casas.

Claro, que só estou especulando como será essa “experiência”, mas Rowling também já adianta que irá despor de matérias exclusivos,o que significa que os fãs terão mais uma razão para reler os livros.

Outro detalhe, é em áudio digital e em formato e-book, estarão disponíveis para compra exclusivamente através do canal.

Com isso Rowling, prepara a sua importante estória, para entrar no mundo digital definitivamente, e pelo visto encantando novos fãs, e fascinando os antigos.

No vídeo, a autora manda um mensagem especial para todos os fãs, agradecendo o carinho e o amor pelos livros.

jk-rowlingTodo o conteúdo do site estará disponível, para todos a partir de Outubro, mas alguns sortudos poderão acompanhar a experiência antes, e ajudar a montar todos os detalhes. Se você quer fazer parte desses “sortudos”, é bom estar atento ao Pottermore no dia 31 de julho  (data não escolhida ao acaso, já que o aniversário de Rowling e do próprio Potter), para descobrir como fazer parte.

Assim como vocês, eu estou extremamente ansiosa, para poder começar a usar o Pottermore, e sendo um projeto de Rowling, tenho certeza que não iremos nos decepcionar.

Beijos!

Fanny Ladeira 

segunda-feira, 20 de junho de 2011

1

Resenha: As vantagens de ser invisível

1 comentários

  AS_VANTAGENS_DE_SER_INVISIVEL_1288235890P                                                  

Livro: As Vantagens de ser invisível

Autor: Stephen Chbosky

Editora: Editora Rocco

Nota: 5 estrelas

No livro de estréia do roteirista norte-americano Stephen Chbosky, As vantagens de ser invisível sai no Brasil pela coleção Batendo de Frente da Rocco Jovens Leitores, cuja proposta é pôr o jovem em confronto com realidades cáusticas.

Não poderia ser diferente.

Ao mesmo tempo engraçado e atordoante, o livro reúne as cartas de Charlie, um adolescente de quem pouco se sabe - a não ser pelo que ele conta ao amigo nessas correspondências -, que vive entre a apatia e o entusiasmo, tateando territórios inexplorados, encurralado entre o desejo de viver a própria vida e ao mesmo tempo fugir dela.

As dificuldades do ambiente escolar, muitas vezes ameaçador, as descobertas dos primeiros encontros amorosos, os dramas familiares, as festas alucinantes e a eterna vontade de se sentir "infinito" ao lado dos amigos são temas que enchem de alegria e angústia a cabeça do protagonista em fase de amadurecimento.

Stephen Chbosky capta com emoção esse vaivém dos sentidos e dos sentimentos e constrói uma narrativa vigorosa costurada pelas cartas de Charlie endereçadas a um amigo que não se sabe se real ou imaginário.

Íntimas, hilariantes, às vezes devastadoras, as cartas mostram um jovem em confronto com a sua própria história presente e futura, ora como um personagem invisível à espreita por trás das cortinas, ora como o protagonista que tem que assumir seu papel no palco da vida. Um jovem que não se sabe quem é ou onde mora. Mas que poderia ser qualquer um, em qualquer lugar do mundo.

Quem freqüenta blogs literários, deve ter ficado sabendo que há algumas semanas atrás, que a tag YAsaves, tomou o twitter, devido a um artigo extremamente preconceituoso feito por uma colunista americana. Eu fiz até um post, falando o que eu achava do assunto.

No artigo, ela fala que os livros de YA são uma má influência para os jovens, por conter más exemplos, e ter cenas de sexo, drogas e romances homossexuais.

Ao ter passado a minha adolescência, entre vários livros fortes de YA, que me ensinaram a viver mais, e a conhecer mais do mundo em que vivemos, eu fui, de certa forma, salva de cair em armadilhas. Tive de tempo de analisar e compreender, ao meu próprio tempo, tudo o que queria, e tudo o que sentia, e porque isso ou aquilo, juntos me faziam ser quem eu realmente era.

E, é isso exatamente o que torna esse livro tão esplêndido.

“Então está é a minha vida. E eu quero que você saiba, que estou feliz e triste, e eu ainda estou tentando descobrir como pode ser assim.”

Charlie, o personagem principal, que eu admito, considerei até muito alienado da realidade, e pelo menos nas primeiras páginas, um chorão de primeira. Mas, quando vamos lendo mais e mais, sobre a sua vida, e sobre os seus sentimentos, vamos tendo mais consciência de quem ele realmente ele é, embora nem ele mesmo, tenha descoberto.

Tentando esmiuçar vários conceitos da vida, Charlie, é apresentado ao amor, as drogas, ao sexo, as complicadas relações amorosas, a livros e bandas novas.

"Charlie, nós aceitamos o amor, que nós achamos que merecemos” Sam

Junto com todas essas experiências, que poderiam literalmente quebrar uma pessoa, Charlie é exposto a realidade, e motivado a colocar as suas próprias impressões sobre tudo.

Ajuda muito, embora no começo não podemos perceber isso, as conexões que ele vai fazendo pelo caminho, com as pessoas a sua volta.

Começando por um sentimento de culpa pela morte da sua tia, e passando por um companheirismo com a sua irmã, e chegando em momentos de amor e ódio com os amigos.

Em menos de 243 páginas, temos a oportunidade de reavaliar vários momentos das nossas vidas, enquanto testemunhamos as cartas que Charlie escreve para um desconhecido.

Chbosky, usa as suas armas para mostrar ao jovem que irá ler esse livro, a ter uma reflexão sobre a vida, sobre todos os sentimentos que somos assolados todos os dias.

Ele quer, que você reflita sobre todas as conexões que você tem com o mundo. O que um livro pode te proporcionar, o que uma música pode te dizer, e até mesmo o que um momento pode significar na sua vida.

Detalhe para a Sam, paixão de Charlie durante o livro, que tem um papel importante para o crescimento e amadurecimento de Charlie, e Bill, um professor de literatura que trabalha como um mentor para o rapaz.

Posso passar o dia inteiro, falando das maravilhas desse livro, que são muitas, acredite. Mas prefiro, deixar vocês o buscarem, e ter as suas próprias experiências ao lê-ló.

Afinal, é essa a intenção do autor.

Tem que ler!!!!!!!

O Filme

O motivo que descobri esse filme, é pelo fato, dele estar sendo filmado nesse momento. Entre as estrelas que estão no elenco podemos encontrar Logan Lerman, Emma Watson, Paul Rudd e Nina Dobrev.

Eu fiquei extremamente curiosa para saber, porque Emma Watson havia escolhido esse filme, e baseando no livro, dá para entender completamente.

Tanto ela, quanto Logan, que interpretam Sam e Charlie respectivamente, tem um maravilhoso material para trabalhar, e eu sei que muitas coisas vão ser cortadas do filme, para tornar ele mais “leve”,( como também fizeram com Nick e Norah – Uma noite de amor e música, mas mesmo assim o filme ficou ótimo!),  mas isso não significa que a essência seja perdida, e espero que isso aconteça com esse filme, porque agora estou extremamente ansiosa para assisti-ló.

emma_wallflowers_set

DETALHE: O escritor é o criador de uma das melhores séries que assisti  na minha vida, Jericho. Que infelizmente foi cancelada na 2° temporada, mas isso não é uma conexão com qualidade da estória.

Só de analisar essa turma de talentos juntos, minhas esperanças de que o filme seja muito bom, aumentou muito, então….

Fanny Ladeira

MV5BMTM3MDUxMzE2MF5BMl5BanBnXkFtZTYwMzYzNjM0._V1._SX214_CR0,0,214,314_Stephen Chbosky cresceu em Pittsburgh, Pensilvânia, e fez o curso de graduação em roteiro na University of Southern California. Seu primeiro filme, The four corners of nowhere, estreou em 1995, no Sundance Film Festival e depois ganhou menção honrosa de melhor filme no Chicago Underground Film Festival. Atualmente vive em Nova York, onde seu trabalho como roteirista a cada dia torna-se mais sólido. As vantagens de ser invisível é seu primeiro romance.

domingo, 19 de junho de 2011

0

Resenha: Insaciável

0 comentários

Insaciável Livro: Insaciável
Autora: Meg Cabot
Editora: Galera Record
Nota: 4 estrelas


Em Insaciável, lançamento desse mês da Galera Record, somos apresentadas à Meena Harper, uma roteirista nova yorkina de Insaciável (ou no original Insatiable),uma Soap Opera (um gênero de novela muito comum nos EUA, lembra do Joey de Friends e Days of our lives? , é nesses moldes), que tem que enfrentar a pressão do chefe que quer que ela escreva uma história de vampiros para a trama da novela em busca de audiência, no livro assim como ultimamente, é muito popular qualquer coisa sobre vampiros.

Porém, Meena também tem outras coisas para se preocupar, ela tem o dom de saber quando e como as pessoas vão morrer, e isso só trás problemas para a sua vida. Sem contar, que o seu irmão está morando com ela, a melhor amiga está para ganhar bebê a qualquer hora, e de quebra, um cara maravilhoso que ela conheceu. Só tem um pequeno problema: ele é um vampiro, de verdade.

Eu tenho que tomar muito cuidado para resenhar os livros da Meg, porque tenho a tendência de amar tudo que ela escreve. Mas esse foi o livro mais maduro dela. Quem conhece, sabe que a leitura da Meg é super gostosa e leve, mas esse é definitivamente, o livro mais rico dela.


O estilo característico dela está ali, há ainda muitas tiradas e referências POP ( o cachorro dela chama Jack Bauer...amei!), e tem aquele final cheio de suspense em todos capítulos. E apesar da Meg não ter resistido, e entrado na onda de escrever livros sobre vampiros, não espere encontrar nada de Crepúsculo (que eu adoro! Mas escritoras diferentes, livros diferentes) nesse livro. Não quero estragar nada, mas Cabot foi bem fiel, ao mito do vampiro.

Com esse livro, podemos ver o quanto a Meg, evoluiu em termos de escritora ( não que ela já não fosse o máximo) mas a qualidade do material aumentou muito, e ela não deixa muita brecha para críticas. O ritmo da história continua o mesmo dos outros livros, mas agora Meg tenta dar mais atenção a todos ao redor, sem lógico não desviar a atenção da história central, não é a toa que esse livro, entrou na "Summer List" de várias revistas americanas.


Gostei muito de ver ela voltando a escrever sobre o lado mais sobrenatural, com uma personagem com um dom especial. Eu estava sentindo muita falta de Jenny Carroll (pseudônimo de Meg), e com esse livro, pude matar um pouco a saudade.

overbite

 

 

 

 

O livro terá um seqüência, que será lançada mês que vem nos EUA. O nome do segundo livro da série é Overbite, e continuará contando a estória de Meena Harper. Mal posso esperar!

 


 

Fanny Ladeira


Meg Cabot, é uma escritora americana, e nomeada pela sua enorme base de fãs, como a rainha do YA. Com mais de 40 livros publicados, a maioria é dedicado ao público jovem. Meg já escreveu as séries de sucesso, O diário da Princesa e A Mediadora.
Em 2009, a escritora deu uma passadinha pelo Brasil, e tive a oportunidade de conhecer ela. E posso afirmar, que ela é o máximo.

 

* Essa resenha é uma adaptação da resenha que nós havíamos colocado o ano passado, quando Insatiable chegou as lojas. Você pode conferir a resenha original AQUI.

sábado, 18 de junho de 2011

0

Contagem Regressiva para o último Harry Potter

0 comentários

 

Olá galera!

Como todos devem ter percebido, a cada dia que passa, e que a data da estréia de, Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2, se aproxima, cada vez mais, os fãs vão me mobilizando, e enlouquecendo.

Eu já estava pensando, o que poderia fazer para prestar uma homenagem para o fim dessa Era. Sim, é o fim de uma ERA.

Não vou revelar o que vem por aí ainda, mas posso dizer, que tudo está sendo preparado com muito carinho.

O Especial se chamará “Farewell, Harry Potter” e ainda não tem logo, mas já tem data para começar: Dia 8 de julho, 7 dias antes da estréia do último filmes ( Sim, copiamos a ideia de 7 dias antes, da Titia Rowling!)

Mas, já é possível ver que o blog entrou no clima antecipadamente.

De hoje até o dia 15 de julho, toda semana teremos uma imagem nova de layout, todas dedicadas aos filmes, não mexi no resto do layout, porque entendo quase nada pouco de HTML.

Espero que vocês aprovem, e que possam ir contando comigo os dias, até a tão esperada estréia.

Beijos!

Fanny Ladeira

sexta-feira, 17 de junho de 2011

1

Cinema no Restaurante: Gigi

1 comentários

  

gigi-DVDcover

A era de Ouro dos musicais americanos, terminou há muito tempo. Apesar de ainda termos alguns filmes, que remetem a esse tempo, como Moulin Rouge e Chicago, porém todo o encanto de uma geração, ficou parado no tempo, envelhecendo e sendo esquecido junto com aquela geração.

Fred Astaire e Audrey Hepburn, são nomes fáceis na boca de todo cinéfilo, ao tentar descrever essa fase. Os atores, que na época, eram contratados pelos estúdios, e não tinham a liberdade de hoje, onde encontram mobilidade de fazer filmes de estúdios diversos.

As atrizes, tinham que saber cantar, dançar, interpretar e serem irresistíveis, porque elas precisariam de tudo isso para poderem fazer, os tão prestigiosos musicais.

sjff_03_img1157 Gigi, filme lançado em 1958, conta a estória de Gigi ( Leslie Caron), uma moça extrovertida e brincalhona, que está passando pela difícil fase de deixar as brincadeiras e se tornar uma moça. Sua mãe, é uma cantora de ópera sem futuro, e a sua avó, Madame Alvarés ( Hermione Gingold), que fica responsável pela sua criação. Gigi, mal tem noção de que a sua vida já está sendo decidida, e que sua avó e Tia Alicia, planejam com que o bom amigo da família, e rico proprietário do ramo do açúcar, Gaston Lachille ( Louis Jourdan), tome Gigi como a sua cortesã. Mas enquanto, ambos Gigi e Gaston, ficam no escuro nesse respeito, os dois vão desenvolvendo uma amizade e cumplicidade, em meios as idas e vindas, casos e escândalos, da alta sociedade.

O filme se passa na encantadora Paris do começo do século, e todos aprendem, que algumas coisas o dinheiro não pode comprar.

Eu tenho que admitir que AMO musicais. Não todos, por exemplo não suporto Amor, Sublime Amor ( um clássico,mas que deixo passar!), mas em sua maioria são estórias encantadoras, e que sabem colocar muito bem as canções para não deixar o filme, nem maçante, e muito menos desinteressante.

Um dos meus Tops musicais é justamente esse. Gigi, é uma personagem adorável, e até mesmo Gaston, que poderia ser considerado um rico mesquinho, na verdade  é uma pessoa simples, que nasceu muito rico, mas que encontra mais alegria, convivendo com Gigi e a sua família.

gigi champagneO filme, apesar da temática que poderia gerar algumas discussões, faz tudo muito com classe, então não tem nada explicito, muito pelo contrário, para uma criança, o fato de Gigi estar sendo treinada para ser uma amante de luxo, pode passar despercebido.

Leslie Caron é a luz desse filme, embora divida a alma com os outros atores. É impossível não ficar completamente extasiada com o seu canto (não é ela cantando, mas ela faz uma boa personificação), e também com o fato dela ser na época uma mulher de 28 anos, que tinha acabado de ter ao seu primeiro filho, interpretando uma menina, de no máximo 16 anos.

1100_014901.jpg

Ela entrega uma Gigi, que nunca poderá ser superada, desculpe as futuras adaptações desse filme, mas é a verdade.

Louis Jourdan que dá vida a Gaston, é outro que faz uma interpretação magnifica. Além de ter um porte e estilo característico, dos grandes atores dessa época.

Falei especificamente dos dois, porque ao longo do filme, são os dois personagens que acabam totalmente transformados, e é muito bom acompanhar esse mudança. Porém tenho que frisar as participações de Maurice Chevalier, como o tio de Gaston, Honoré, um solteirão invicto que tem uma história com a avó de Gigi, e de Eva Gabor, como Liane.

A direção ficou a cargo do legendário diretor, Vincente Minnelli, que anos antes havia descoberto Leslie Caron, em Sinfonia em Paris.

Por ser um musical, eu claro não poderia deixar de falar das maravilhosas canções. Nunca tive tanta dificuldade em encontrar para download as músicas de um filme, quanto desse. É impossível até mesmo encontrar um cd para compra. Então peço, para que se alguém encontrar, me avisar.

Mas vamos ao que interessa, há várias músicas que mereciam a citação, porém vou colocar as ais interessantes:

* Nesse clip, podemos ver a total espontaneidade de Gigi.

* Um magnifico solo de Louis Jourdan, é uma cena importante para o filme também, além de engraçada.

* Uma olhada dentro da alma e dos desejos de Gigi.

1100_014902.jpg

 

 

 

O filme é uma obra prima, e ganhou 9 Oscars. Infelizmente do elenco inteiro, a única ainda viva, é Leslie Caron, que pode ser vista nos filmes Chocolate e Á Francesa.

 

 

 

Uma ótima pedida para a final de tarde, e sem dúvida um filme memorável!

Fanny Ladeira

Próxima Sessão: Um Tiro no Escuro

* Vamos rir muito?

quinta-feira, 16 de junho de 2011

0

PotterMore: Mais de Potter?

0 comentários

Olá Galera!

Ontem, durante o dia e sem o menor aviso, J. K. Rowling, que dispensa qualquer apresentação, resolveu causar alvoroço nação Potteriana.

No site, Secret Street View , damos de cara com a seguinte mensagem:

image

“J.K. Rowling

Tem uma coisa nova para anunciar.

Isto não é um novo livro,mas é uma coisas igualmente excitante. Com um pequeno teaser antes do anúncio oficial, dez letras foram escondidas neste site para você encontrar. Para localizar elas você só precisa colocar as 10 coordenadas individuais, nas caixa de busca e explorar. As coordenadas serão reveladas entre 10 sites dedicados a Harry Potter, durante os dias 15 e 16 de junho de 2011. Encontre os sites corretos e você poderá ser o primeiro a colocar as letras em ordem.”

Depois disso, começou uma busca pelos fãs do mundo inteiro, para encontrar as letras, mas maioria só conseguiu encontrar mesmo depois das coordenadas divulgadas pelos sites.

Para você que não teve a oportunidade de “brincar” junto ontem, segue as 10 coordenadas, que devem ser colocadas no site Secret Street View.

1. The Leaky Cauldron: 42.523356,-70.890698
2. Mugglenet: 51.530377,-0.123259
3. Harry Potter Xperts: -34.410362,150.900671
4. Univers Harry Potter: 29.952313,-90.067849
5. HPANA: -29.239004,24.507602
6. Blog Hogwarts: 34.730748,137.383786
7. Clube do Slugue: -23.547149,-46.520266
8. Snitch Seeker: 51.781383,-2.56844
9. Portkey: 43.640408,-79.388795
10. @pottermore: 53.476311,-2.22971

As Coordenadas devem, revelar as seguintes letras, em cada destino:

1. Letra E. “Salem” – O Instituto de Bruxas de Salem visitou a Copa Mundial de Quadribol.
2. Letra T. “King’s Cross” – O Expresso de Hogwarts sai da Plataforma 9 3/4.
3. Letra O. “Austrália” – Os Guerreiros de Woollongong são um time de Quadribol mencionado no livro “Quadribol Através dos Séculos”
4. Letra P. “Nova Orleans” – A Convenção Phoenix Rising em Nova Orleans. Uma das maiores convenções de fãs de Harry Potter.
5. Letra T. “África”. O Erumpente, cujo chifre contem um fluido letal que pode fazer objetos explodirem no simples toque (um destes destruiu a casa dos Lovegood) – é originário da África.
6. Letra O. Toyohashi - Tengu é um time de Quadribol mencionado no livro “Quadribol Através dos Séculos”.
7. Letra E. “Brasil” – A localização de um fã-site olhos de águia que descobriu o registro de uma marca.
8. Letra R. “Floresta do Deão” – A bela floresta na qual Harry e Rony se reunem em Relíquias da Morte.
9. Letra R. “Toronto (Skydome)” – Onde J.K. Rowling bateu o recorde por um evento de leitura pública
10. Letra M. “Estação de Manchester” – O trem entre Manchester e Londres foi onde J. K. Rowling primeiramente teve a ideia de Harry Potter.

No final, quando todas as 10 letras foram reveladas, formando a Palavra PotterMore, o site oficial foi lançado, mas claro com um pequeno detalhe, toda comoção, foi só uma ponta do que ainda vai ser revelado, no site Pottermore.

Mas não precisa se descabelar, porque a data foi marcada e será dentro de 7 dias, contando de ontem, ou seja, hoje só falta 6 dias. Mas dá para acompanhar a contagem regressiva, nessa página exclusiva do Youtube.

Pottermore: O que será?

image

Essa é a grande questão.

O mais especulado pelo fãs, é lançamento de enciclopédia do mundo do HP, e que revelaria vários detalhes dos livros e do universo dos bruxos.

Lembro de um dos diretores do filme, não lembro qual, falando que Rowling, tinha diversos cadernos que explicava mínimos detalhes sobre todo o Universo Potter, desde então fiquei louca para que um dia o conteúdo desses cadernos fossem finalmente revelados, será que esse dia está chegando?

Eu, pessoalmente,não estou apostando todas as minhas fichas nessa teoria, porque no comunicado ela disse que não seria um livro.

Estaria Rowling lançando uma marca para vender os produtos exclusivos de Potter?

Seria uma instituição de caridade, com a marca de Potter, em que Rowling pretenda envolver todos os fãs do bruxinho?

jkr

Bom, vou segurar todas as teorias para não enlouquecer até semana que vem.

Mas como uma GRANDE fã de Harry Potter, mal posso esperar para finalmente descobrir, assim como a maior parte de vocês, certo?

Você pode acompanhar todas as novidades nos sites citados, ou no Twitter do Pottermore.

Beijos!

Fanny Ladeira

quarta-feira, 15 de junho de 2011

0

Lançamento de Passion – 3° Livro da Série Fallen

0 comentários
Confira AQUI, a nossa resenha de Passion!

Olá Pessoal!
Como muitos já sabem eu me apaixonei por diversas séries no último ano. Jogos Vorazes, Os Lobos de Mercy Fells, Série Feios, entre outras, entrou no Hall de livros amados e esperados.
Mas nenhum superou a conexão, quase instantânea que tive com a Série Fallen, escrita pela talentosa Lauren Kate, e que foi lançado no Brasil pela Editora Galera Record.
Se você não recorda de todo o meu amor pela série, talvez deva dar uma olhada nas outras postagens que fiz, em relação a série.
Lançamento de Passion

9369720
Ontem ocorreu nos EUA, o lançamento do 3° livro da Série Passion.
E para perceber a força da série, o livro também foi lançado simultaneamente no Reino Unido, Austrália, Canadá e Nova Zelândia.
Para evitar Spoilers para quem não leu a série, coloquei a sinopse traduzida de Passion, lá no final da página. Então se não leu, Fallen e Tormenta pare quando eu disser!
Mas se você acompanha a série, pode ler o primeiro capítulo do livro ( in English) Aqui!
Eu não li, porque estou esperando ansiosamente a chegada do meu exemplar ( como fui super atenciosa, acabei comprando errado a edição PaperBack, que só vai ser lançada semana que vem, e contanto com o prazo de entrega do Book Depository, posso contar que vou ler o livro na metade do mês de julho), então pretendo não ler nada. Estou querendo fugir até mesmo de reviews, mas não prometo nada. ( heheheh)
Entretanto, estou seguindo cada passo de Lauren, durante a sua Book Tour, e pretendo colocar depois um resumo do que foi o lançamento do livro, com fotos das noites de autógrafos e entrevistas.
O próximo livro da série se chamará Rapture, e ainda não tem data de lançamento, mas deve ficar para os primeiros meses de 2012.
Continuado a tradição de maravilhosos Book Trailer, Passion não poderia ser diferente. A música que toca é da banda Bridezilla, é a música é Lunar Eclipse.
A Editora Australiana Random House, tem um site super bacana especialmente dedicado a série. Vale a pena uma visita, para conhecer mais sobre os livros e os personagens.
Além disso, há vários vídeos, Book Trailers de todos os livros da série, e download de vários itens, como ícones e papéis de paredes.
Acesse:  http://www.fallenbooks.com.au/index.html
Lauren no Brasil
av_20110125_laurenkate_0268-2
Como alguns já sabem, Lauren Kate, será a escritora convidada pela Editora Galera Record, para Bienal do Rio de Janeiro.
Há dois anos atrás, quem veio foi Meg Cabot, que participou de várias sessões de autógrafos, no RJ, em Salvador, e em São Paulo ( Yeahhh, eu tava lá!), e acredito que teve outras cidades também.
Então, já podemos esperar que ela faça outras paradas, além da Bienal.
A programação não saiu, e ainda não temos detalhes de como será a visita e muito menos, informações de datas e locais, mas assim que sair,  todos os detalhes estarão aqui.
Dizem, que a editora, irá aproveitar para lançar Passion, em PT, junto com a visita da autora. O que até faz sentido, mas vamos esperar mais confirmações por parte da Galera Record.

Passion
O texto abaixo pode conter Spoiler para quem não leu os livros Fallen e Tormenta.
"Every single lifetime, I'll choose you. Just as you have chosen me. Forever."
Luce morreria por Daniel. O que já aconteceu. Diversas vezes. Através dos tempos, Luce e Daniel encontraram um ao outro, somente para terem uma separação dolorosa: Luce morre, e Daniel é deixado sozinho e machucado. Mas talvez, não precise ser desse jeito…
Luce está decidida de que alguma coisa – ou alguém – em uma das suas vidas passadas, possa ajuda-lá na sua atual vida. Então, ela começa a mais importante viagem desse vida….voltando na eternidade pra testemunhar pessoalmente seus romances com Daniel…e finalmente desvendar o segredo para fazer o amor dos dois durar.
Cam e a legião de Anjos e os Outcasts estão desesperados para alcançar Luce, mas nenhum está mais frenético que Daniel. Ele persegue Luce através do passado dos dois, assustado com que possa acontecer, se ela tentar reescrever a história.
Porque, o romance deles através dos anos, pode virar chamas…pra sempre.”
Fanny Ladeira
0

Resenha: A mulher do viajante no tempo

0 comentários

9788560280407_300Livro: A mulher do Viajante no Tempo

Autora:Audrey Niffenegger

Editora: Suma de Letras

Nota: 4 estrelas

A Mulher do Viajante no Tempo conta a história do casal Henry e Clare. Quando os dois se conhecem Henry tem 28 anos e Clare, vinte. Ele é um moderno bibliotecário; ela, uma linda estudante de arte. Os dois se apaixonam, se casam e passam a perseguir os objetivos comuns à maioria dos casais: filhos, bons amigos, um trabalho gratificante. Mas o seu casamento nunca poderá ser normal.

Mas Henry sofre de um distúrbio genético raro e de tempos em tempos, seu relógio biológico dá uma guinada para frente ou para trás, e ele então é capaz de viajar no tempo, levado a momentos emocionalmente importantes de sua vida tanto no passado quanto no futuro. Causados por acontecimentos estressantes, os deslocamentos são imprevisíveis e Henry é incapaz de controlá-los. A cada viagem, ele tem uma idade diferente e precisa se readaptar mais uma vez à própria vida. E Clare, para quem o tempo passa normalmente, tem de aprender a conviver com a ausência de Henry e com o caráter inusitado de sua relação.

O amor pode ser contado de várias formas, e ainda assim será uma história amor. E não se engane, se ao ler a sinopse do livro, ligar com livros de ficção cientifica. Apesar da temática, é um livro de amor.

Mas (ainda bem!) nada piegas. A estória de Henry e Clare, pode ser considerada, até um pouco confusa, para quem lê o livro, sem muita atenção. São muitas idas e vindas, e deve ficar atento também, para o título das passagens que informam a idade de ambos.

Henry é um tipo comum de homem (tirando, claro a parte das viagens no tempo), ele apesar de ser romântico em alguns momentos, não chega a ser algum chato que fica fazendo declarações de amor ao vento.

Niffenegger, dentro de uma estória tão fora do comum, criou personagens bem reais. Talvez para evitar que as pessoas ‘viajassem’ demais ao ler as suas 456 páginas.

Claro, que as viagens no tempo, ocupam um ponto muito importante em toda a estória, e são as mesmas que nos permitem, sentir a grandeza do amor entre ambos.

Apesar de Henry ser o coitado, que tem que viajar no tempo, é com Clare que sinto mais afeição. Ela fiel é ao seus sentimentos desde o primeiro momento, e podemos sentir isso durante toda a estória.

Só não dei 5 estrelas, porque não senti uma grande emoção com o amor real dos dois. Mas ao analisar bem a situação, sei o porque isso ocorreu.

Eu nunca tive um amor real. Eu tive paixonites por caras babacas, mas nunca tive um grande amor por ninguém, então, acredito que essa minha falta de experiências próprias acabou afetando a minha leitura.

Mas fica aqui uma promessa, quando estiver realmente amando alguém, e sentir que é um sentimento forte e real, volto a ler esse livro, e aí tenho certeza que as 5 estrelas serão pouco.

Fica a dica!

Fanny Ladeira

 

niffeneggerAudrey Niffenegger é artista plástica e leciona criação literária, impressão tipográfica e produção editorial de luxo em uma universidade de Chicago. Esse livro, foi adaptado para os cinemas, e no Brasil ganhou o nome de “Te amarei para sempre”, com Eric Bana e Rachel McAdams, como Henry e Clare ( que vale a pena ser visto! É muito bom!). A autora tem outro livro lançado no Brasil, também pela editora Objetiva, Uma Estranha Simetria, e é presença confirmada na Bienal do Rio de Janeiro.

 

* A sinopse do livro foi tirada do site da Editora Suma de Letras

segunda-feira, 13 de junho de 2011

0

Resenha: Coração de Tinta

0 comentários

 cora_o_de_tintalivro                                                          

Livro: Coração de Tinta – Série Mundo de Tinta

Autora: Cornelia Funke

Editora: Companhia das Letras

Nota: 5 Estrelas

Há muito tempo Mo decidiu nunca mais ler um livro em voz alta. Sua filha Meggie é uma devoradora de histórias, mas apesar da insistência não consegue fazer com que o pai leia para ela na cama. Meggie jamais entendeu o motivo dessa recusa, até que um excêntrico visitante noturno finalmente vem revelar o segredo que explica a proibição.


É que Mo tem uma habilidade estranha e incontrolável: quando lê um texto em voz alta, as palavras tomam vida em sua boca, e coisas e seres da história surgem como que por mágica. Numa noite fatídica, quando Meggie ainda era um bebê, a língua encantada de Mo trouxe à vida alguns personagens de um livro chamado Coração de tinta. Um deles é Capricórnio, vilão cruel e sem misericórdia, que não fez questão de voltar para dentro da história de onde tinha vindo e preferiu instalar-se numa aldeia abandonada.

Desse lugar funesto, comanda uma gangue de brutamontes que espalham o terror pela região, praticando roubos e assassinatos. Capricórnio quer usar os poderes de Mo para trazer de Coração de tinta um ser ainda mais terrível e sanguinário que ele próprio. Quando seus capangas finalmente seqüestram Mo, Meggie terá de enfrentar essas criaturas bizarras e sofridas, vindas de um mundo completamente diferente do seu.

“Quando você leva um livro numa viagem, acontece uma coisa estranha: o livro começa a colecionar lembranças. Depois basta abri-ló, e você já está de novo no lugar onde o leu. Tudo volta, já nas primeiras palavras: as imagens, os cheiros, o sorvete que você tomou enquanto lia…Acredite, os livros são como papel pega-mosas. Não existe nada melhor para grudar lembranças do que páginas impressas.”

Há um tempo atrás, fiquei encantada com um filme, Coração de Tinta. A estória era fantástica, e o filme até que é muito bem feito, e conta com um time de estrelas, mas não chegou fazer muito sucesso.

Nessa altura, já sabia que era baseado em um livro, e minha mão coçou diversas vezes para compra-ló, mas acabava resistindo, e por isso demorei mais de 3 anos para ler.

Uma pena, já durante esse tempo fiquei sem conhecer esse maravilhoso livro, escrito pela alemã Cornerlia Funke.

Com uma narrativa gostosa e cheio de detalhes e coisas fantásticas ( a la Harry Potter) a autora conseguiu dar um ritmo inacreditável para o livro, e li as suas quase 500 páginas, em 2 dias.

O livro é bem escrito, e tem os mais variados tipos de personagens, sejam do nosso mundo ou direto dos livros, mas Funke conseguiu ir além disso.

Eu me sentia totalmente dentro da estória, minha mãe me chamava, e eu tinha que ficar um minuto para tentar me desligar da realidade alternativa, que o livro apresenta.

“_ Por Favor! – ela sussurrou enquanto abria o livro – Por favor, leve-me para longe daqui, apenas por uma ou duas horas, mas por favor leve-me para longe, muito longe.” Meggie

É mágico ler essas páginas, e fico feliz de finalmente ter conseguido lê-lo.

Não quero falar, que se você gostou de Harry Potter vai gostar desse, mas tenho certeza que se você não é um trouxa, você definitivamente vai se encantar pelo mundo de Meggie, Mô, Dedo Empoeirado e tantos outros personagens maravilhosos!

Mal posso esperar, para colocar a minha mão, nos próximos dois volumes(Morte de Tinta e Sangue de Tinta), e continuar a minha jornada pela Série Mundo de Tinta.

Tem que ler!

 

Fanny Ladeira

 

cornelia_funkeCornelia Funke, nasceu em 1958, em Dorsten, na Alemanha. Escritora e ilustradora de livros infantis e juvenis, recebeu diversos prêmios literários. Com mais de quarenta títulos publicados, é autora, entre outros, do aclamado O senhor dos ladrões, publicado em 2004 pela Cia. das Letras e best-seller na lista do New York Times. Entre os seus maiores sucessos, está também a trilogia Mundo de Tinta, cujo primeiro volume, Coração de tinta, adaptado para o cinema, tornou-se um best-seller mundial, com mais de 4 milhões de exemplares vendidos.

* A Sinopse do livro foi retira do site da Cia das Letras.

sábado, 11 de junho de 2011

0

Cinema no Restaurante: 10 Coisas que Odeio em Você

0 comentários

 

10-coisas-que-eu-odeio-em-vc       

Cada geração tem o seu filme “água com açúcar” para sonhar. As meninas que curtiam a sua adolescência em plena década de 80, tinham Molly Ringwald, e o seu sonho sendo completado em “A Garota de Rosa Shocking”.

Eu, e mais uma pá de meninas, que tivemos que passar por essa terrível (e ao mesmo tempo adorável) fase nos anos 2000, não tivemos tantos filmes memoráveis, quanto os dos anos 80. Na verdade a maioria dos filmes do gênero, foram feitos no final da década de 90, ou nos primeiros anos.

Ela é Demais, Nunca Fui Beijada, Correndo Atrás, Louco por você e até mesmo esse, 10 coisas que odeio em você, ainda tentavam manter o clima dos filmes adolescentes vivo.

Entretanto podemos ver uma mudança muito significativa desse gênero, os adolescentes do filme começam a encontrar belezas em outros lugares, e vários conceitos são mudados.

No filme, Cameron (Joseph Gordon-Levitt) é novo na escola, e já tem que aprender vários truques para conseguir conviver com os outros estudantes,que são de uma variação estrondosa. Ele então conhece, Bianca (Larisa Oleynik) , que é a garota perfeita, desejada por muitos, até mesmo pelo popular e “modelo”, Joey (Andrew Keegan).

untitled4

Mas o que Cameron, também não sabe, é que Bianca e a sua irmã, a imprevisível e cheia de atitude, Kat (Julie Stiles), não tem permissão para namorarem.

Para reverter essa situação, eles faze, um acordo com Patrick (Heath Ledger), um aluno do colégio que tem uma reputação de barra pesada, para que ele saia com Kat, e assim Bianca possa sair com ele.

É mexendo em um campo totalmente desconhecidos, que todos eles descobriram, que quando se trata de amor, nada pode ser previsto, controlado e nem planejado.

O filme é previsível? Sim! Mas nada consegue tirar o brilho de ter uma estória sendo contada de forma diferente.

10-coisas-ator-g-20091124Como disse, os protagonistas, Kat e Patrick, são totalmente o oposto do que esperamos. São considerados baderneiros e problemáticos, mas enquanto o filme se desenrolada vamos percebendo que debaixo de toda a atitude contra o mundo, eles são incríveis, inteligentes e que tem tudo haver um com o outro.

Até mesmo Cameron, que surge como um meio bobo, que quer conquista a garota mais bonita, nos surpreende mostrando que quando precisa, ele pode ter coragem de lutar e dizer tudo o que pensa.

Os outros personagens da escola, entram em algumas partes, como caricaturas, mas alguns se destacam como o amigo de Cameron, Michael, e a amiga de Kat, Mandella, que tem um final fofo juntos.

O filme, não economiza no palavreado e nem nas atitudes, muitas vezes duvidosas dos adolescente, surpreendentemente, não tem nenhuma cena de sexo, nem mesmo um insinuação.

A importância aqui é mostrar que as aparências enganam, e que não devemos tirar conclusões antes de realmente conhecermos as pessoas. Os personagens ao longo do filme vão mudando,e evoluindo com as sus experiências, e no final podemos perceber que todos se tornaram muito mais humanos e verdadeiros.

Minha cena favorita, é quando Patrick, se torna estupidamente romântico e canta Can’t take my eyes off you. Na verdade, essa cena, é uma das minhas favoritas de todos os filmes.

comportamentocomedia

E não podemos nos esquecer do que torna esse filme ainda mais memorável: O elenco.

Se na época eles eram, jovens atores tentando o seu lugar ao sol, hoje, grande parte do elenco principal brilha em grandes produções.

Julia_Stiles-SPX-010923Julie Stiles, saiu do filme como a maior promessa. Depois de tropeçar um pouco pelo caminho ( os fracos Um príncipe em minha vida e Louco por você), ela conseguiu diversificar bastante a carreira, e voltou a estar em evidência, depois de participar da trilogia Bourne.

Seu último papel, foi na série Dexter, que deixou ela de novo, como uma boa opção para qualquer papel.

 

1201103562_fHeath Ledger, o australiano que conquista o coração de Kat no filme, mostrou que conquistou o seu lugar em Hollywood, mas teve que ralar um pouco.

Depois de aparecer em ‘10 coisas’ ele trabalhou bastante, e fez diversas produções que foram massacradas pela crítica. Mas foi quando ele aceitou fazer, O segredo de Brokeback Mountain, que ele conquistou a todos.

Com isso, ele conseguiu o papel do Coringa, em Batman – O Cavaleiro das Trevas.

Infelizmente, Ledger, não viveu, nem mesmo para ver, o sucesso que o seu Coringa fez. Em 22 de janeiro de 2008, ele sofreu uma overdose de comprimidos, e morreu em seu apartamento em Nova York.

Um ano depois, o ator receberia um Oscar póstumo pela sua atuação em Batman.

Joseph_Gordon_Levitt_0008Mas nem tudo estava perdido, talvez sentindo que precisava preencher a vaga de ator de sucesso do filme, veio Joseph Gordon-Levitt para salvar tudo. Ele andava meio sumido, desde que o filme foi lançado e então, ele apareceu  no independente e maravilhoso 500 dias com ela ( que eu já apareceu nessa coluna AQUI).

Depois desse, ele apareceu no duvidoso, G.I. Joe – A Origem da Cobra, mas pelo menos estava mais em evidência.

Quando do nada, ele está em A Origem, um dos melhores filmes do ano passado ( na verdade dos últimos anos) que concorreu ao Oscar, e colocou ele na A list de hollywood.

Nada mal, nada mal mesmo!

O filme, não é um obra-prima, passa longe disso, mas sempre foi uma boa diversão para as minhas tardes tristes de sábado, durante a minha adolescência, e de uma forma totalmente surpreendente, marcou essa minha fase.

10coisas3

Teve gente que teve, Curtindo a vida Adoidado. Teve gente que teve A Garota Rosa Choque.

Eu tive 10 coisas que odeio em você, e me orgulho disso.

Boa Sessão.

E vc? Qual filme adolescente, marcou a sua Adolescência?

Próxima Sessão: Gigi

quarta-feira, 8 de junho de 2011

0

Resenha: Lonely Hearts Club

0 comentários

untitled

Livro: Lonely Hearts Club

Autora: Elizabeth Eulberg

Editora: Intrínseca

Nota: 4,0 estrelas

Em seu romance de estréia, Elizabeth Eulberg, musicista na adolescência e beatlemaníaca de carteirinha, cria o Lonely Hearts Club, que se transforma no refúgio ideal para garotas que só precisam de uma coisa para recompor seus corações partidos: a companhia das amigas.

Em Lonely Hearts Club, após mais uma decepção amorosa, Penny Lane Bloom cansou de tentar, cansou de ser magoada e decidiu: homens são o inimigo e ela não irá mais namorar enquanto estiver na escola. Ao ver que, definitivamente, não é a única a sofrer nas mãos dos garotos nem a única aluna farta de ver as amigas mudarem completamente (quase sempre, para pior) só para agradar aos namorados, Penny decide criar o Lonely Hearts Club, o lugar certo para uma mulher que não precisa de namorados idiotas para ser feliz.

O clube, é lógico, vira o centro das atenções na escola McKinley e Penny é idolatrada por dezenas de meninas que não querem enxergar um namorado nem a quilômetros de distância. Jamais. Seja quem for. Mas será, realmente, que nenhum carinha vale a pena?

Desde o primeiro momento eu me identifiquei com esse livro. A estória, o detalhe do título carregar o nome de umas das músicas dos Beatles, e por último, a capa.

Em um conjunto tão harmonioso só poderia ter saído um livro muito bom. O estilo da narração é bem leve, mas não chega a ser bobo. As meninas, apesar de sofrerem percursos pelo caminho, mostram que apesar de tudo são boas amigas, e que aprenderam com os seus erros.

O ponto alto de livro, foi Eulberg realmente mostrar que é perfeitamente possível viver sem um namorado, e que para algumas meninas é até aconselhado dar um pouco essa distância para concentrar em outras coisas, como os estudos.

E adorei, principalmente quando Penny confronta um antigo amor, e diz toda a verdade na cara dele. Se você já foi magoada por algum menino, vai querer falar todas aquelas palavras em voz alta, só para lavar a alma. Perfeito discurso!

Minha única reclamação a respeito desse livro, foi ele não ter sido lançado há uns 7 anos atrás. Adoraria ter tido a cia das meninas do Lonely Hearts Club, durante adolescência, pelo menos, elas entenderiam porque eu não queria namorar durante o Ensino Médio.

Fanny Ladeira

elizabeth-eulberg2Elizabeth Eulberg, nasceu no estado de Wisconsin, mas atualmente mora em Nova York. Mesmo crescendo em uma pequena cidade teve a oportunidade de viajar bastante, e já morou até mesmo na Suíça. Ela nutre três paixões: Por viagens, por livros e por música. Tem mais um livro lançado nos Estados Unidos, “Prom & Prejudice”.

 

*A sinopse foi retirada do site da Editora.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

0

Resenha: Piloto de Guerra

0 comentários

   134272_972

Livro: Piloto de Guerra

Autor: Antoine de Saint-Exupéry

Editora: José Olympio Editora

Nota: 5 estrelas

Esse livro, não é uma novela nem um poema. É a paisagem interior de um homem nascido para ver o mundo de cima para baixo, implantado naturalmente num céu terrestre para quem as luzes da cidade são como as estrelas que brilham no céu para o comum dos mortais.

Muito conhecem, Saint-Exupéry, escritor do clássico infantil que serve para todas as idades, O Pequeno Príncipe.

Mas poucos conhecem, uma outra parte desse gênio, que escreveu um livro que encantaria pessoas durante a vida inteira. Essas mesmas pessoas, tendem a dar as suas costas para os outros livros do autor, que focam mais na sua outra profissão: a de aviador.

Neste, escrito durante a 2° Guerra Mundial, Exupéry conta detalhes sobre a sua vida como Capitão Saint-Exupéry, e os perigos que ele corria ao tentar defender o seu país da ocupação Nazista ( Exupéry é francês).

O livro, muito bem escrito, não apega em detalhes técnicos, e é uma leitura proveitosa, até para quem nunca subiu em um avião. A fascinação de Saint-Exupéry pela sua profissão, e a certeza de que apesar de perigosa, cada missão era necessária. O livro narra várias etapas e provações, que ele e a sua equipe, passarão.

Adoro ler um bom livro de um autor e me encantar, mas amo quando leio um outro livro dele, que consegue ser melhor! Dá uma sensação de renovação e confiança no trabalho do mesmo, fora de série.

E com Piloto de Guerra, que a melhor obra do autor não reside em O Pequeno Príncipe, e sim nessa obra atípica, bela e real.

"Sacrifício não significa uma amputação, nem penitência. É essencialmente um ato. É uma dádiva de nós próprios, ao ser de que nos reivindicamos. Só conseguirá compreender o que é uma propriedade, quem lhe tiver sacrificado uma parte de si próprio, quem tiver lutado para salvar e sofrido, para lhe dar beleza. Nessa altura, ganhará amor à propriedade. Uma propriedade não é um somatório de interesses: esse é o grande erro. É o somatório das dádivas.”

Infelizmente Saint-Exupéry foi um dos que tiverem que sacrificar a sua volta por um bem maior. Ao levantar voo para uma missão, ele foi abatido, e durante décadas nem a localização de seu avião era conhecida.

Em 2004, foi encontrado os destroços do seu avião no fundo do mar, perto da costa francesa, mas o seu corpo nunca foi encontrado. Gosto de pensar que O Pequeno Príncipe, resolveu o levar na calda de um cometa para ver de perto as estrelas, que ele tanto adorava.

O DIA ‘D’

Dia D

Hoje comemoramos o Dia D.

Para quem fugiu da escola no dia dessa aula, O Dia D, foi o o Dia da Decisão, o dia em que tropas do mundo inteiro, decidiram atacar os Nazistas.

Usando o Canal da Marcha como acesso, os países aliados conseguiram colocar 150 mil soldados dentro do continente Europeu, e junto com as tropas, foi possível enviar tanques e armamentos.

Os soldados alemães foram pegos de surpresa, eles sabiam do ataque, mas não sabiam onde e nem como ocorreria.

O dia ficou para sempre na lembrança de todos, porque marcou o inicio do fim, da 2° Guerra Mundial.

Cerca de 12 mil soldados foram mortos, durante a invasão.

Abaixo vocês podem ver com detalhe, em vermelho, a marcação da ordem nos registros militares, sobre o Dia D.

SDC12181

Esse livro fica exposto, no Museu dos Invalidez, que tem a coleção de armaduras, documentos, e roupas das guerras que os franceses tiverem que lutar. Começando pelas Cruzadas, e chegando nos diversos itens expostos sobre a 2° Guerra Mundial. Quem tiver oportunidade, vale uma visita!

Se você quer saber mais sobre o Dia D e a 2° Guerra Mundial acesse http://www.segundaguerramundial.com.br/sgm/

Ou se você prefere ver um filme, uma boa dica, é O Resgate do Soldado Ryan, que mostra com detalhes ( muitos detalhes) o ataque.

Fanny Ladeira

 

antoine.de.saint-exupery_7Antoine Saint-Exupéry nasceu em 1900 em Lyon, filho de uma família de nobreza rural, ele viveu uma boa vida, apesar de ter perdido o pai aos 4 anos. Morou em Le Mans, até sair para estudar em colégio interno. Saint-Exupéry, estudaria Arquitetura antes de ingressar para a Escola Militar onde iria fazer carreira como aviador. Sua morte é datada em 31 de julho de 1944, data que o avião em que pilotava foi abatido durante uma operação militar.

domingo, 5 de junho de 2011

0

A verdade sobre o YA

0 comentários

Bom dia galera,

Ontem no conceituado Wall Street Journal, jornal americano que não divide a fama do NY times, mas que tem o mesmo prestigio. Foi divulgado um artigo, que é no mínimo ( mínimo) contestável.

A autora Megan Cox Gurdon, resolveu falar sobre o caminho obscuro que os livros YA (ou seja, livros direcionados para o público adolescente) estão tomando. Eu não vou traduzir o artigo inteiro, por que simplesmente não é merecedor. Se você quiser ler o artigo é só clicar AQUI.

O Mundo Real

“…Tão obscuros que seqüestros, espancamentos, incestos e violência brutal são coisas que fazem parte do que o livro fala diretamente, em termos gerais, direcionados para crianças entre as idades de 12 à 18 anos.” Tirado do artigo acima.

Eu sei. Os pais querem, acima de tudo, que os seus filhos tenham uma vida tranquila, longe de preocupações. Mas há uma clara diferença entre, dar uma vida tranquila ao seu filho, e deixa-ló alienado de todo o resto.

A violência, e os abusos que a jornalista alardeou encontrados nas YA's não são nada mais, do que vários adolescentes vivem diariamente. Seus filhos vivem em um ambiente saudável? Parabéns! Mas nem todos tem essa oportunidade.

Muitos adolescentes tem que conviver, com mortes, suicídio, violência, seja dentro ou fora de casa, e em alguns casos, até mesmo abusos sexuais. É uma realidade triste? Sim, mas é uma realidade!

Quando eu tinha 12 anos, eu li um livro nacional que se chama, Depois Daquela Viagem. No livro, a personagem depois de fazer sexo irresponsável, acaba pegando HIV, e o livro, fala muito bem sobre todas as consequências, sobre o tratamento, e principalmente sobre o preconceito que ela passava. Não é um relato sobre uma vida de contas de fadas.

Aí, vão poder falar, “Mas você era tão nova, poderia te impressionar”. E me impressionou, mas não de uma forma ruim, muito pelo contrário. Aprendi que com DST não se brinca, e que se uma pessoa tem HIV ela não precisa (e nem deve) ser margilizada.

A Influência do YA

Eu não sou mais uma adolescente. Já tenho quase os meus 23 anos.

Eu estudei a vida inteira em escola pública, tive amigos que começaram a ter relações sexuais cedo, que experimentaram drogas, que já gostavam de beber com 14 anos, todos os tipos de colegas que os adolescentes tem em sua volta.

Não fui a número 1°, mas me esforçava. Não passei em federal, mas consegui bolsa para faculdade. Terminei a minha faculdade no tempo certo, sem nenhum percurso, e já trabalho desde a idade permitida.

Eu nunca nem experimentei drogas, e não gosto de nada com álcool.

Não que eu esteja falando que é ruim, mas é quem eu sou, e olha só! Li YA durante a minha adolescência inteira! Que coisa, não?

As pessoas, os parentes, os pais, tendem a colocar a culpa do comportamento dos filhos em tudo. Nos livros, nos filmes, nos jogos, mas honestamente a culpa está no ambiente que o adolescente vive, e na capacidade do adolescente se abrir com alguém.

Em casa, sempre tive liberdade para conversar sobre tudo. Pude perguntar tudo o que queria saber sobre sexo para os meus pais, sem que a minha mãe tivesse um ataque do coração. Nunca fui proibida de ler nada, nem mesmo o “cruel”, Harry Potter.

Ao contrário, vendo a minha fascinação, meu pai resolveu ler também. Ele não fez comentários sobre as bruxarias, ele só me falou, que Harry estava sonhando com tudo aquilo para fugir da realidade que ele tinha que enfrentar dentro da casa dos tios. Interessante, não?

Em nenhum YA, há mensagens subliminares. Não há escondido dentro do livro, uma parte que o autor escreve “ depois que terminar de ler esse livro, vá lá, e faça sexo com o primeiro menino que aparecer”.

Não me lembro, de um livro sequer falando que bebida alcoólica era boa. Nenhum.

Até mesmo, o “Super Violento” como a Mrs.. Gurdon citou Jogos Vorazes, não tem nada de influenciador. Nele, a única coisa que Suzanne Collins é mostrar um futuro mais violento, nada mais que isso.

Há cenas fortes, mas nada que supere ao que a própria história do mundo já causou. Você sabia que na época das Cruzadas, foi organizada uma Cruzadas das Crianças?

Você sabia que nos Campos de Concentração durante a 2° Guerra Mundial, as crianças eram mortas em câmeras de gás, assim como os adultos?

Então não podemos recomendar “O Diário de Anne Frank” para nenhum adolescente, é isso? Porque tem violência, abusos, mortes e espancamentos?

YA SAVES

Sabe o que eu mais influenciada, lendo os livros da Série Harry Potter? Eu queria ser inteligente como a Hermione.

Os livros sempre foram meu porto seguro, e os YA sempre estavam no topo da lista. Quando os pais brigavam e você tinha ficar escutando tudo aquilo.

Quando os irmãos são uns chatos é só fazem te criticar, é só virar e ler ali, que os irmãos são chatos em qualquer lugar.

Quando a sua melhor amiga pisa na bola, diversas vezes, e você fica sofrendo, ainda bem que tem um livro ali.

E principalmente, quando aquela angústia bate, e todos aqueles sentimentos confusos, fortes e tão secos batem na porta, é tão bom ter um livro, que você pode recorrer.

YA Saves, não tentem negar isso. Não tentem fazer de contas que não passaram por isso. Passou, todos passaram.

Bullyng, anorexia, bulimia, pressão dos amigos e da sociedade para serem perfeitos. É muita coisa para um adolescente assimilar e conseguir viver bem.

Li um monte de Tweets falando que o YA ajudou a perceber que não precisamos ser perfeitos. Isso é tão verdadeiro.

Obrigado autores por pensarem nos jovens, por pensarem nos problemas, nas cobranças e na bagunça que a cabeça fica.

Obrigada por serem os amigos silenciosos, que nós ajudam!

Obrigada, Obrigada YA books!

Fanny Ladeira